Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Atividades Pedagógicas Não Presenciais Campus Timon
Início do conteúdo da página

Atividades Pedagógicas Não Presenciais Campus Timon

publicado 21/12/2020 17h50 | última modificação 09/06/2021 14h35

[/tab]

Portarias do IFMA

  1. Portaria IFMA nº 1.202, de 18 de março de 2020 – Estabelece aos campi e reitoria procedimentos e rotinas das atividades acadêmicas, administrativas, de atendimento ao público e de prevenção diante do cenário de emergência de saúde pública em decorrência do avanço do Coronavírus (COVID-19);
  2. Portaria IFMA nº 1.254, de 23 de março de 2020 –  Determina procedimentos para atividades acadêmicas e de estágio aos campi do IFMA;
  3. Portaria IFMA nº 1.868, de 20 de maio de 2020 – Atualiza a composição do Grupo de Trabalho para análise e planejamento de estratégias e processo formativo para uso de tecnologias com base;
    nos resultados de pesquisa institucional sobre condições de acesso à internet de estudantes e a habilidade e o aspecto formativo dos professores para produção de conteúdo digital;
  4. Portaria IFMA nº 1.892, de 21 de maio de 2020 – Estabelece procedimentos para a aquisição e distribuição de gêneros alimentícios aos estudantes da Educação Básica do Instituto Federal do Maranhão no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE);
  5. Portaria IFMA nº 2.068, de 02 de junho de 2020 –  Estabelece normas à Graduação, no que tange à defesa de Trabalhos de Conclusão de Curso – TCC, às Atividades Complementares e a Cursos de Férias e, no caso da Educação Profissional Técnica de Nível Médio no que se refere ao Estágio Supervisionado, durante a vigência da suspensão das atividades acadêmicas presenciais;
  6. Portaria IFMA nº 2.618, de 12 de junho de 2020 –  Estabelece diretrizes para a realização de Atividades Pedagógicas não Presenciais nos cursos presenciais de Educação Profissional Técnica de Nível Médio, Graduação e Pós-Graduação do IFMA, para a reorganização do Calendário Escolar 2020;
  7. Portaria IFMA nº 2.626, de 16 de junho de 2020 – Estabelece diretrizes para  apresentação de Trabalhos de Conclusão de Curso e atividades avaliativas no formato virtual e orienta acerca das Atividades de Estágio nos Cursos Superiores EaD e Pós-Graduação Lato SensuPresencial do IFMA;
  8. Portaria IFMA nº 2.656, de 18 de junho de 2020 -Dispõe sobre a trilha formativa para a utilização de ferramentas digitais que favoreçam os processos de ensino e de aprendizagem no contexto emergencial relativo à preparação de materiais e atividades pedagógicas não presenciais;
  9. Portaria IFMA nº 3.490, de 20 de julho de 2020 – Orienta quanto aos procedimentos que deverão ser adotados pelos campi ofertantes de cursos superiores na modalidade a distância para a execução das práticas de estágios, de que trata a Portaria MEC  nº 544/2020;
  10. Portaria IFMA nº 3.644, de 31 de julho de 2020 – Estabelecer disposições específicas para a realização de atividades não presenciais nos cursos presenciais de pós-graduação ofertados pelo IFMA;
  11. Portaria IFMA nº 3.643, de 31 de julho de 2020 –  Estabelecer as orientações para a utilização Google Classroom como plataforma digital de ensino remoto;
  12. Portaria IFMA nº 4.461, de 02 de outubro de 2020 – Altera redação do Anexo I da Portaria IFMA nº 2.618, de 12 de junho de 2020, que estabelece diretrizes para a realização de Atividades Pedagógicas não Presenciais nos cursos presenciais de Educação Profissional Técnica de Nível Médio, Graduação e Pós-Graduação do IFMA, para a reorganização do Calendário Escolar 2020;
  13. Portaria IFMA nº 4.426, de 22 de setembro de 2020 – Estabelece diretrizes relacionados à Graduação e aos Cursos Técnicos, no que tange à substituição de práticas presenciais de estágio e de laboratório por atividades não presenciais e quanto às possibilidades de estágio presencial no contexto da Pandemia;
  14. Nota Orientativa nº 01/2020– sobre a Portaria IFMA nº 2.618, de 12 de junho de 2020;
  15. Nota Orientativa nº 02/2020–  sobre a Portaria Nº 2.618, de 12 de junho de 2020 e a sobre a Portaria 4.661, de 02 de outubro de 2020.

Documentos do Ministério da Educação e do Conselho Nacional de Educação

  1. Portaria MEC nº 544, de 16 de junho de 2020 – Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais, enquanto durar a situação de pandemia do novo coronavírus – Covid-19, e revoga as Portarias MEC nº 343, de 17 de março de 2020, nº 345, de 19 de março de 2020, e nº 473, de 12 de maio de 2020;
  2. Portaria MEC nº 473, de 12 de maio de 2020 – Prorroga o prazo previsto no § 1º do art. 1º da Portaria nº 343, de 17 de março de 2020;
  3. Portaria MEC nº 376, de 03 de abril de 2020 – Dispõe sobre as aulas nos cursos de educação profissional técnica de nível médio, enquanto durar a situação de pandemia do novo coronavírus – Covid-19;
  4. Portaria MEC nº 534,de 23 de março de 2020 – Estabelece medidas temporárias de prevenção ao contágio pelo Novo Coronavírus (COVID-19) a serem adotadas no âmbito do Ministério da Educação, no que se refere aos prestadores de serviços terceirizados;
  5. Portaria MEC nº 345, de 19 de março de 2020 – Altera a Portaria MEC nº 343, de 17 de março de 2020;
  6. Portaria MEC nº 343, de 17 de março de 2020 – Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais enquanto durar a situação de pandemia do Novo Coronavírus – COVID-19;
  7. Parecer CNE/CP Nº 5/2020 – Reorganização do Calendário Escolar e da possibilidade de cômputo de atividades não presenciais para fins de cumprimento da carga horária mínima anual, em razão da Pandemia da COVID-19;
  8. Resolução CNE/CP nº 2, de 10 de dezembro de 2020 – Institui Diretrizes Nacionais orientadoras para a implementação dos dispositivos da Lei nº 14.040, de 18 de agosto de 2020, que estabelece normas educacionais excepcionais a serem adotadas pelos sistemas de ensino, instituições e redes escolares, públicas, privadas, comunitárias e confessionais, durante o estado de calamidade reconhecido pelo Decreto Legislativo nº 6, de 20 de março de 2020.

Trilha Formativa para utilização de ferramentas digitais para o ensino não presencial

Acesso à trilha formativa para a utilização de ferramentas digitais para o ensino não presencial. Nessa trilha você encontrará vários cursos online para docentes sobre esta temática. 
– Acesse a Ferramenta Padlet 

Diretrizes para a realização de Atividades Pedagógicas não presenciais no Âmbito do IFMA

Confira a gravação da reunião explicativa sobre a Portaria Nº 2.618, de 12 de junho de 2020, que estabelece as Diretrizes para a realização de Atividades Pedagógicas não Presenciais no âmbito do IFMA.

– Confira a Gravação

[/tab]

Clique nos banners abaixo para acessar os conteúdos

[/tab]


Calendário 2020.1

Calendário 2020.2

Calendário 2021.1 Técnico

Calendário 2021.2 Técnico

Calendário 2021.1 Superior

Calendário 2021.2 Superior

Calendário de Atividades 2021

Proposta de Calendário de Atividades 2021

Obs: As datas das atividades podem ser alteradas pelas chefias

[/toggle]

Horário 2020.1

Horário 2020.2

Horário 2020.2

Horário 2021.1

Horário 2021.1

Horário 2021.2

Horário 2021.2

1 - Como o IFMA está realizando as atividades de Ensino nesse período de suspensão das aulas presenciais?

As atividades de ensino estão sendo realizadas através das Atividades Pedagógicas Não Presenciais.

Por Atividades Pedagógicas Não Presenciais (APNPs) entende-se aquelas que serão realizadas pelo IFMA com os estudantes durante o período que não for possível a presença física destes no ambiente escolar. De acordo com a Portaria nº 2.618, de 12 de junho de 2020, as atividades pedagógicas não presenciais correspondem às atividades realizadas pelos estudantes, desenvolvidas e acompanhadas pelos docentes, mediadas ou não por tecnologias de informação e comunicação (TICs). Nesse sentido, não se confundem com a educação a distância ou com a oferta de carga horária na modalidade EAD em cursos presenciais.

As Atividades Pedagógicas não presenciais mediadas por tecnologias digitais podem ser desenvolvidas de forma síncrona e/ou assíncrona. As atividades síncronas são aquelas que permitem a interação, em tempo real, entre docentes e estudantes. Já as atividades assíncronas são aquelas disponibilizadas pelo docente (geralmente em uma plataforma virtual de aprendizagem) e acessada pelos estudantes para realizar seus estudos de acordo com seu próprio ritmo de aprendizagem. Elas incluem videoaulas, podcasts, conteúdos em slides, atividades desenvolvidas a partir de aplicativos computacionais; textos digitais para leitura (e-books, artigos, guias, tutoriais, entre outros), propostas de redação de texto, pesquisas na web, discussão temática por meio de fóruns, estudos dirigidos, atividades em questionário eletrônico, entre outras.

As Atividades Pedagógicas não mediadas por tecnologias digitais podem ser desenvolvidas por meio de materiais impressos (lista de exercícios, apostilas, dentre outros) e livros didáticos, desde que seja possível disponibilizá-los aos estudantes nesse período.

2 - Como fica a organização e o cumprimento dos dias Letivos e da carga horária dos cursos no ano de 2020 e 2021?

Os 200 dias letivos obrigatórios por lei foram flexibilizados para o ano letivo de 2020, portanto não somos obrigadas a oferecer esses 200 dias completos, mas a carga horária completa do curso será garantida, sendo assim, nossos Campi reorganizaram seus calendários de forma a concluir toda a carga horária de cada curso para o ano letivo de 2020 de forma não presencial.

3 - Como o IFMA tem garantido o acesso dos estudantes às atividades pedagógicas não presenciais?

O IFMA disponibilizou o Auxílio Inclusão Digital para os estudantes que não possuíam condições de acesso à internet. Esse Auxílio garantiu a estes alunos ajuda financeira para que eles pudessem adquirir pacotes de internet para participar das Atividades Pedagógicas não Presencial

4 - Qual suporte formativo que o IFMA garantiu aos docentes e estudantes para a realização das atividades pedagógicas não presenciais?

O IFMA disponibilizou uma trilha formativa para os Docentes para a utilização de ferramentas digitais para o ensino não presencial e orientou as Equipes de Ensino dos Campi a realizarem formações e momentos de ambientação tanto com os docentes quanto com os estudantes antes do início das Atividades Pedagógicas não Presencial.

5 - Quais documentos e orientações regulam esse momento de ensino não presencial no IFMA?

O IFMA elaborou Portarias e Notas Orientativas próprias, seguindo as legislações vigentes do Governo Federal, as quais trazem regras e orientações para docentes, estudantes e equipes pedagógicas para a realização das Atividades Pedagógicas não Presencial. Essas portarias e orientações estão todas públicas nesse site na aba “Documentos normativos”.

6 - Há previsão de retorno das Aulas presenciais?

Não temos previsão de retorno presencial. Este retorno só será efetivado quando for permitido legalmente e quando for possível garantirmos condições mínimas de segurança contra o contagio pelo novo Coronavírus. Enquanto isso seguiremos com as Atividades Pedagógicas não Presencial.

Diretor Geral

Rommel de Sousa Neves

Telefone: (99) 98422-5797

E-mail: rommel@ifma.edu.br

Chefe de Gabinete

Retieli de Oliveira Silva

E-mail: retieli@ifma.edu.br

Coordenadoria de Tecnologia da Informação e Comunicação

Stenio Klaydson Alves de Andrade

E-mail: ctic.timon@ifma.edu.br

Coordenadoria de Apoio e Pesquisa Institucional

Christian Rilza Silva de Melo

E-mail: capi.timon@ifma.edu.br

Diretoria de Desenvolvimento de Ensino

Deusdete de Sousa Brito

Telefone: (99) 98420-0091

E-mail: deusbrito@ifma.edu.br

Departamento de Ensino

Roberto de Abreu Imperes

E-mail: roberto.imperes@ifma.edu.br

Coordenador do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas

Wesley Sousa Santos

E-mail: wesley.santos@ifma.edu.br

Departamento de Extensão e Relações Institucionais

Cristiano Jackson da Costa Coelho

E-mail: deri.timon@ifma.edu.br

Coordenadoria de Assuntos Estudantis

Carmem Lúcia Félix da Silva

E-mail: cae.timon@ifma.edu.br

Departamento de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação

Odaleia Alves da Costa

E-mail: odaleia@ifma.edu.br

Departamento de Registro e Controle Acadêmico

Vitorina Patricia de Sousa Sampaio Barradas

E-mail: drca.timon@ifma.edu.br

Coordenação da Especialização no Ensino de Ciências

Roberto Kennedy Cardoso

E-mail: esp.ensinodeciencias.timon@ifma.edu.br

Diretor de Administração e Planejamento

Thiago Rocha de Almeida

Telefone: +55 (99) 98420-3171

E-mail: thiago.almeida@ifma.edu.br

Coordenadoria de Gestão de Pessoas

Viviane da Silva Gomes

E-mail: cgp.timon@ifma.edu.br

Coordenadoria de Licitação, Compras e Contratos

Ediw Mateus Coelho Félix da Silva

E-mail: mateus.silva@ifma.edu.br

Coordenadoria de Execução Orçamentária e Financeira

Auriana Gomes Peres

E-mail: auriana.peres@ifma.edu.br

Coordenadoria de Planejamento e Gestão Patrimonial

Idelson dos Santos Rios

E-mail: idelson.rios@ifma.edu.br

SISTEC

O Sistec é um sistema de registro, divulgação de dados e de validação de diplomas de cursos de nível médio da educação profissional e tecnológica.

A finalidade do Sistec é servir como mecanismo de registro e divulgação dos dados da educação profissional e tecnológica e de validação de diplomas de cursos de educação profissional técnica de nível médio.

O Sistec foi instituído e implantado pelo Ministério da Educação (MEC) em 2009 (Resolução CNE/CEB nº 3/2009), por intermédio da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (Setec/MEC).

Por meio dele, as instituições de ensino ofertantes de educação profissional e tecnológica inserem as informações sobre os cursos técnicos de nível médio e os cursos de qualificação profissional, incluindo matrícula, frequência, concluintes, entre outros dados.

Validação e expedição de diplomas

O preenchimento de dados no Sistec é uma das condições essenciais para garantir a validade nacional dos diplomas expedidos.

Essa obrigatoriedade foi definida pelo Conselho Nacional de Educação por meio da Resolução de criação do Sistec, bem como da Resolução CEB/CNE nº 06/2012, que estabelece as diretrizes curriculares nacionais para a educação profissional técnica de nível médio. As informações são obrigatórias para todas as unidades de ensino credenciadas para oferta de cursos de Educação Profissional Tecnológica (EPT), independentemente de sua dependência administrativa (pública ou privada), sistema de ensino (federal, estaduais e municipais) e nível de autonomia.

Bolsa Formação/Pronatec

O Sistec também é utilizado como ferramenta de apoio ao custeio da oferta de cursos gratuitos viabilizados pela Setec/MEC por intermédio da Bolsa Formação do Pronatec. O sistema auxilia no:

planejamento da oferta de cursos;

realização de pré-matrículas;

matrículas;

inscrições on-line e;

confirmação de frequência e de concluintes pela instituição e pelo próprio estudante.

Acesse o Sistec

Fonte: Portal MEC

Plataforma Nilo Peçanha

A Plataforma Nilo Peçanha (PNP) é uma ambiente virtual de coleta, validação e disseminação das estatísticas oficiais da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Rede Federal).  Tem como objetivo reunir dados relativos ao corpo docente, discente, técnico-administrativo e de gastos financeiros das unidades da Rede Federal, para fins de cálculo dos indicadores de gestão monitorados pela Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação ( SETEC/MEC).

Fonte: https://www.plataformanilopecanha.org/

EMEC

O e-MEC foi criado para fazer a tramitação eletrônica dos processos de regulamentação. Pela internet, as instituições de educação superior fazem o credenciamento e o recredenciamento, buscam autorização, reconhecimento e renovação de reconhecimento de cursos. Em funcionamento desde janeiro de 2007, o sistema permite a abertura e o acompanhamento dos processos pelas instituições de forma simplificada e transparente.

Acesse o e-MEC

Fonte: Portal MEC

SISU

O Sisu é o sistema informatizado do Ministério da Educação por meio do qual instituições públicas de ensino superior oferecem vagas a candidatos participantes do Enem.

Como se inscrever

Inscrições

Número e senha no Enem

Notas do Enem

Vagas ofertadas

Notas de corte

Resultado

Sisu e Prouni

Lista de Espera

Fonte: http://sisu.mec.gov.br/

Plano de Ação Anual

O Plano de Ação Anual (PAA) consiste em um instrumento de gestão acadêmica e administrativa, de planejamento e controle, que permite o direcionamento de decisões conforme as diretrizes do IFMA, bem como a avaliação e o acompanhamento do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) 2019-2023. A elaboração do PAA, coordenada pela Coordenadoria de Apoio e Pesquisa Institucional (CAPI), ocorre mediante a participação de todos os atores institucionais.

Assistência ao Aluno – CAE

Coordenadoria de Assuntos Estudantis (CAE), ligada a Diretoria de Desenvolvimento Educacional (DDE), é o setor responsável por desenvolver os Programas Universais de Assistência à Saúde do estudante, de acompanhamento psicológico e de apoio à participação estudantil em eventos. Ela também executa os Programas Específicos da Assistência Primária, como o de auxílio alimentação, moradia e transporte.

Para realizar essas atividades, a CAE está estruturado da seguinte forma:

  • Serviço médico, de enfermagem e nutricional: realiza consultas médicas, tratamentos clínicos, prevenção de doenças, hábitos saudáveis e outras questões relacionadas à saúde e educação, por meio de atendimento individual, de palestras e da divulgação de informações nos murais do Campus.
  • Serviço de odontologia: realiza consultas com avaliação clínica inicial, levantamento epidemiológico dos alunos, orientação preventiva individual e coletiva, campanhas de saúde, limpeza, restauração, pequenas cirurgias, raspagem, profilaxia e aplicação tópica de flúor.
  • Serviço de psicologia: realiza a escuta e a orientação psicológica com os estudantes que procuram espontaneamente o serviço ou estudantes que são encaminhados. Atualmente, desenvolve o programa de orientação vocacional/profissional com os alunos do 3º ano do ensino técnico integrado ao médio.
  • Serviço social: faz o acompanhamento social dos estudantes e é responsável pelos programas de bolsas da atenção primária da Política de Assistência Estudantil.

Assistência ao Educando

Assistência ao Educando

Política de Assistência ao Educando do IFMA (PAE) é um conjunto de princípios e diretrizes que norteia a implantação de programas para garantir o acesso, a permanência e a conclusão do curso com qualidade pelos estudantes, na perspectiva de inclusão social, formação ampliada, produção do conhecimento e melhoria do desempenho acadêmico. A PAE está regulamentada pela Resolução CONSUP 114, de 26 de junho de 2017.

A Diretoria de Assuntos Estudantis (DAE) é unidade vinculada a estrutura da Pró-Reitoria de Ensino e Assuntos Estudantis da administração superior responsável por planejar, coordenar, executar e avaliar os programas, projetos, atividades e políticas de desenvolvimento da assistência estudantil de forma articulada com o Ensino, Pesquisa e Extensão. A DAE atende aos estudantes matriculados em todos os níveis e modalidades de ensino dos campi, polos, unidades remotas e núcleos do Instituto.


editaisbolsas               programas

programasespecificos               movimentos

Competências da Diretoria | Equipe Multiprofissional | Base Legal

Contatos CAE Timon

Carmem Lúcia Félix da Silva

E-mail: cae.timon@ifma.edu.br

Notas Técnicas

2020

N° 01/2020 – Processo Seletivo para ingresso em cursos técnicos do IFMA em 2021

2021

N° 01/2021 – Diretrizes pedagógicas, acadêmicas e de suporte ao ensino em função da pandemia da COVID-19;

N° 02/2021 – Plano Especial de Estudos;

Nº 03/2021 – Orientações para a seleção, escolha, distribuição, acompanhamento e desfazimento do livro didático (PNLD);

Nº 04/2021 – Orientações acerca dos procedimentos de matrícula e heteroidentificação do Processo Seletivo Público Unificado do IFMA de acesso aos Cursos da Educação Profissional Técnica de Nível Médio, nas formas integrada, concomitante e subsequente ao Ensino Médio – REVOGADA;

Nº 05/2021 – Orientações acerca dos NOVAS REGRAS de procedimentos de matrícula 100% online e dos procedimentos de heteroidentificação do Processo Seletivo Público Unificado do IFMA de acesso aos Cursos da Educação Profissional Técnica de Nível Médio, nas formas integrada, concomitante e subsequente ao Ensino Médio.

Resoluções Consup

Ensino Técnico

Resolução Consup/IFMA Nº 14, de 28 de março de 2014 – Aprova das Normas Gerais dos Cursos de Técnicos do IFMA.

Resolução Consup/IFMA Nº 105, de 1º de novembro de 2019 – Dispõe sobre as Diretrizes Institucionais para os cursos Técnicos Integrados ao Ensino Médio no Instituto Federal do Maranhão.

Resolução Consup/IFMA Nº 114, de 10 de dezembro de 2019 – Dispõe sobre as Normas de Avaliação do Processo de Ensino Aprendizagem dos Cursos de Técnicos do IFMA.

Ensino Superior

Em edição

Assistência Estudantil

Em edição

Direitos Humanos e Inclusão Social

Em edição

Decretos e Leis

Ensino Técnico

Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017 – Altera as Leis n º 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e 11.494, de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, a Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e o Decreto-Lei nº 236, de 28 de fevereiro de 1967; revoga a Lei nº 11.161, de 5 de agosto de 2005; e institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral.

Ensino Superior

Em edição

Assistência Estudantil

Em edição

Direitos Humanos e Inclusão Social

Em edição

Documentos CNE

Ensino Técnico

Resolução CNE/CEB nº 5, de 22 de junho de 2012 – Define Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Indígena na Educação Básica;

Resolução CNE/CEB nº 8, de 20 de novembro de 2012 – Define Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Quilombola na Educação Básica;

Resolução CNE/CP nº 4, de 17 de dezembro de 2018 – Institui a Base Nacional Comum Curricular na Etapa do Ensino Médio (BNCC-EM), como etapa final da Educação Básica, nos termos do artigo 35 da LDB, completando o conjunto constituído pela BNCC da Educação Infantil e do Ensino Fundamental, com base na Resolução CNE/CP nº 2/2017, fundamentada no Parecer; CNE/CP nº 15/2017.

Resolução CNE/CEB nº 3, de 21 de novembro de 2018 – Atualiza as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio;

Resolução CNE/CEB nº 1, de 13 de novembro de 2020 – Dispõe sobre o direito de matrícula de crianças e adolescentes migrantes, refugiados, apátridas e solicitantes de refúgio no sistema público de ensino brasileiro;

Resolução CNE/CEB nº 2, de 15 de dezembro de 2020 – Aprova a quarta edição do Catálogo Nacional de Cursos Técnicos;

Parecer CNE/CP Nº 17/2020 –  Reanálise do Parecer CNE/CP nº 7, de 19 de maio de 2020, que tratou das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional e Tecnológica, a partir da Lei nº 11.741/2008, que deu nova redação à Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB)

Resolução cne/cp nº 1, de 5 de janeiro de 2021 – Define as diretrizes curriculares nacionais gerais para a educação profissional e tecnológica.

Ensino Superior

Em edição

Assistência Estudantil

Em edição

Direitos Humanos e Inclusão Social

Em edição

Documentos em discussão

Acesse aqui o Formulário e participe

 

Programas

Programas de pesquisa

PIBIC – PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTIFICA

O Programa Institucional de Bolsa de Iniciação Científica (PIBIC) proporciona aos estudantes o contato direto com as atividades de investigações científicas. No Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA), essa ação é apoiada pelo próprio Instituto e por agências de fomento – o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e a Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA) -, através da oferta bolsas aos alunos do IFMA devidamente matriculados em cursos de Educação Profissional Técnico de Nível Médio e de Ensino Superior. Para mais informações clique aqui.

Regulamento do PIBIC – Aprovado pela Resolução nº 081, de 29 de novembro de 2012

 

PIVIC – PROGRAMA DE PESQUISA VOLUNTÁRIA DE INICIAÇÃO CIENTIFICA

Este programa tem como finalidade ampliar e consolidar a pesquisa realizada no IFMA, contribuindo para formação de profissionais qualificados em atividades voltadas ao desenvolvimento científico. O PIVIC proporciona, por meio de edital, a avaliação e o registro de projetos desenvolvidos por servidores-pesquisadores do IFMA, preferencialmente com a participação de alunos, com a execução dessas pesquisas no período de 06 (seis) a 12 (doze) meses em âmbito institucional. Tal ação não envolve concessão de bolsas, mas consiste em incremento substancial da participação de discentes e servidores em atividades de pesquisa.

Regulamento do PIVIC – Aprovado pela Resolução nº 07, de 29 de fevereiro de 2012

 

BDI – Programa de bolsa Institucional de Desenvolvimento da pesquisa

A Bolsa de Desenvolvimento Institucional (BDI) visa apoiar projetos de pesquisa aplicada executados na Instituição que tenham como finalidade promover melhorias das metodologias e ferramentas de Gestão Institucional e o aprimoramento de processos e produtos que atendam às demandas da sociedade, bem como estimular o pensar científico e de inovação em discentes de Educação Profissional Técnica de Nível Médio e de Ensino Superior.

Regulamento do BDI – Aprovado pela Resolução nº 083, de 05 de outubro de 2011

 

Clique aqui para acessar os editais em andamento e encerrados.

Clique aqui para acessar os editais de 2010 a 2015

Clique aqui para acessas as normas para elaboração de relatórios parciais e finais.

Clique aqui para acessar as normas de elaboração de Resumo Expandido.


Dúvidas frequentes

Quais são os compromissos do(a) bolsista?

Qual é o valor da bolsa?

Como será feito o pagamento das bolsas PIBIC/CNPq?

Como será feito o pagamento das bolsas IFMA?

Como será feito o pagamento das bolsas FAPEMA?

Qual será a duração da bolsa?

Como proceder para cancelar ou substituir o bolsista?

Quais são os documentos necessários para a substituição de bolsistas?

Como proceder para cancelar a bolsa?

O bolsista tem direito a algum certificado?

Resoluções e documentos

Documentos

RESOLUÇÕES/REGULAMENTOS

  • Resolução Nº 05, de 20 de janeiro de 2010 – Regulamento Bolsas de Iniciação Científica e Tecnológica – Clique aqui
  • Resolução Nº 05, de 11 de fevereiro de 2011 – Regulamento Contrato de Professor Visitante – Clique aqui
  • Resolução Nº 87, de 05 de outubro de 2011 – Diretrizes para a Gestão das atividades de Ensino, Pesquisa e Extensão – Clique aqui
  • Resolução Nº 106, de 20 de dezembro de 2011 – Regulamento Auxílio Individual para Participação em Eventos Nacionais e Internacionais – Clique aqui
  • Resolução Nº 05, de 03 de fevereiro de 2012 – Regulamento Valores de Bolsas dos Programas de Iniciação Científica – Clique aqui
  • Resolução Nº 07, de 29 de fevereiro de 2012 – Regulamento Programa Institucional Voluntário de Iniciação Científica (PIVIC) – Clique aqui
  • Resolução Nº 50, de 16 de julho de 2012 – Alteração da Resolução Nº 106/2011 que trata do Regulamento para Auxílio Individual para Participação em Eventos Nacionais e Internacionais – Clique aqui
  • Resolução Nº 61, de 11 de setembro de 2012 – Alteração da Resolução Nº 05/2012 que trata do Regulamento de Valores de Bolsas dos Programas de Iniciação Científica – Clique aqui / Regulamento – Clique aqui
  • Resolução Nº 81, de 29 de novembro de 2012 – Regulamento do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica e Tecnológica – Clique aqui

 

FLUXOGRAMAS

 

MANUAIS SUAP

 

RESUMO EXPANDIDO

 

CATÁLOGOS

Pós-Graduação

RESOLUÇÕES

  • Resolução Nº 119, de 26 de junho 2017 – Regulamento Pós-Graduação Stricto Sensu – Clique aqui
  • Resolução Nº 05, de 19 de fevereiro 2018 – Regulamento Bolsas Stricto Sensu IFMA – Clique aqui
  • Resolução Nº 66, de 25 de junho 2018 – Regulamento Pós-Graduação Lato Sensu – Clique aqui
  • Resolução Nº 65, de 27 de outubro 2020 – Regulamento Política de Ações Afirmativas – Clique aqui

 

MANUAIS

  • Proposta de Curso Novo de Pós-Graduação Lato Sensu– Clique aqui
  • Orientações para criação e manutenção de grupos de pesquisa – Clique aqui
  • Formulário de criação de grupo de pesquisa (CNPq) – Clique aqui

 

RELATÓRIOS

FLUXOGRAMAS

Legislação Inovação

Legislação

Lei 13.243/16 (Marco Legal da Inovação): Dispõe sobre estímulos ao desenvolvimento científico, à pesquisa, à capacitação científica e tecnológica e à inovação e altera as leis 10.973/04, 6.815/80, 8.666/93, 12.462/11, 8.745/93, 8.958/94, 8.010/90, 8.032/90, 12.772/12.

Lei 10.973/04 (Lei de Inovação): Dispõe sobre incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo.
Decreto 5.563/05: Regulamenta a Lei de Inovação.

Lei 13.243/16: Dispõe sobre estímulos ao desenvolvimento científico, à pesquisa, à capacitação científica e tecnológica e à inovação e altera a Lei no 10.973, de 2 de dezembro de 2004.

Lei 9.279/96 (Lei da Propriedade Industrial): Regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial.
Decreto 2.553/98: Regulamenta os Arts. 75 e 88 a 93 da Lei da Propriedade Industrial.

Lei nº 8.958/94: Dispõe sobre as relações entre as instituições federais de ensino superior e de pesquisa tecnológica e as fundações de apoio.
Decreto nº 7.423/10: Regulamenta a Lei nº 8.958/94.

Lei 9.609/98 (Lei de Programa de Computador): Dispõe sobre a proteção da propriedade intelectual de programa de computador e sua comercialização no País.
Decreto 2.556/98: Regulamenta o registro previsto no Art. 3º da Lei de Programa de Computador.

Lei 9.610/98 (Lei de Direitos Autorais): Altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais.
Decreto 75.699/75: Promulga a Convenção de Berna para a Proteção das Obras Literárias e Artísticas.

Lei 11.196/05 (Lei do Bem): Dispõe, principalmente, sobre incentivos fiscais para a inovação tecnológica.
Decreto 5.798/06: Regulamenta os Arts. 17 a 26 da Lei do Bem.

Lei 8.666/93: Institui normas para licitações e contratos da Administração Pública.

Lei 12.349/10: Altera a Lei 8.666/93 para incentivar a inovação.

Lei 9.456/97 (Lei de Proteção de Cultivares): Institui a Lei de Proteção de Cultivares.
Decreto 2.366/97: Regulamenta a Lei de Proteção de Cultivares.

Lei 10.711/03 (Lei de Sementes e Mudas): Dispõe sobre o Sistema Nacional de Sementes e Mudas.
Decreto 5.153/04: Regulamenta a Lei de Sementes e Mudas.

Lei 11.484/07: Dispõe sobre a proteção à propriedade intelectual das topografias de circuitos integrados.

Lei 8.955/94: Dispõe sobre o contrato de franquia empresarial (franchising).

Estágio

Lei de Estágio

publicado 01/06/2015 16h54 | última modificação 15/06/2015 19h04

A Lei nº 11.788 / 2008 dispõe sobre o estágio de estudantes e altera a redação do art. 428 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de lo de maio de 1943, e a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996.

Acesse aqui a Lei de Estágio.

Para ter acesso às vagas de estágio disponíveis aos alunos do IFMA, entre em contato com os Departamentos de Extensão, Relações Institucionais e/ou Estágio dos campi (veja a lista aqui).


Dúvidas Frequentes

O que é estágio?

Quais são as modalidades de estágio?

Quem pode fazer estágio?

O que é o Programa Jovem Aprendiz?

Oportunidade de Estágio

Egressos

Cadastre Seu Currículo

Quer fazer parte de um banco de dados de currículos e acelerar sua oportunidade de emprego? É importante que você se cadastre no site do Trabalha Brasil, serviço gratuito que atua como um classificado de vagas de emprego em todo o Brasil. A alimentação desse banco de dados também possibilita que o Instituto Federal do Maranhão (IFMA) obtenha informações sobre a situação de seus alunos egressos.

Faca seu cadastro no Trabalha Brasil aqui.

Manual de Submissão de Projeto de Extensão

Os projetos de extensão devem ser cadastrados por meio do Sistema Unificado de Administração Pública (SUAP), adotado pelo Instituto Federal do Maranhão (IFMA). Também é preciso registrar na plataforma a execução das atividades nas diversas etapas do projeto, além de realizar sua pré-avaliação, avaliação e monitoramento.

Clique aqui para acessar o Manual de Submissão de Projetos de Extensão.

Regulamento e Legislação de Extensão e Estágios

Legislação Nacional

Art. 207, da Constituição Federal de 1988 – Define a autonomia didática – pedagógica – científica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial das Instituições de Ensino Superior.

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996) – O artigo 43 da LDB estabelece o princípio de indissociabilidade entre Ensino, Pesquisa e Extensão, que aponta como norteador dos fins da Educação Superior nas IES, as ações extensionistas que estimulam o conhecimento social local, regional e nacional sob reciprocidade com o mundo acadêmico, científico e tecnológico.

Plano Nacional de Educação (Lei nº 10.172, de 09 de janeiro de 2001) – Apoia as ações de extensão como parte integrante da Formação Acadêmicas das IES.

Lei de Inovação (Lei nº 10.973, de 2 de dezembro de 2004) – Dispõe sobre incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo e dá outras providências.

Lei de Propriedade Intelectual (Lei nº 9.279 de 14 de maio de 1996) – Regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial.

Lei do estágio (Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008) – Dispõe sobre o estágio de estudantes; altera a redação do art. 428 da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de lo de maio de 1943, e a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996.

Lei nº 10.097, de 19 de dezembro de 2000 – Altera dispositivos da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943.

Decreto nº 7.416, de 30 de dezembro de 2010 – Regulamenta os Art. 10 e 12 da Lei nº12.155 de dezembro de 2009, que determina a concessão de bolsas para desenvolvimento de atividades de ensino e extensão universitária.

Portaria MTE Nº 2.185, de 05 de novembro de 2009 – Disciplina a oferta de cursos de aprendizagem profissional em nível de técnico de ensino.

Portaria nº58 de 21 de novembro de 2014 – Regulamenta a concessão de bolsas de pesquisa, desenvolvimento, inovação e intercâmbio dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia.

 

Resoluções e documentos do IFMA

Plano de Desenvolvimento Institucional  do IFMA 2014-2018 – Sistematiza o planejamento dos compromissos institucionais que devem nortear a prática educativa na Instituição.

Resolução N° 49/2007 – Aprova o regulamento da Disciplina Estágio Curricular dos Cursos Técnicos e dos Cursos Superiores de Graduação.

Resolução Nº 47, de 18 de setembro de 2015 – Dispõe sobre a política de programas e projetos de extensão  do IFMA.

Resolução Nº 123, de 12 de dezembro de 2016 – Dispõe acerca da criação da Política de Empreendedorismo – Fascículo I – do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão.

Resolução Nº 005, de 28 de fevereiro de 2019 – Dispõe acerca da criação da Política de Empreendedorismo – Fascículo II Cooperativa Escola do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão.

Resolução Nº 42, de 26 de abril de 2016 – Aprova a Política de Estágio e Egresso do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão.

Comissão de Avaliação de Projetos de Extensão -CAPPE

Portaria CAPPE Timon 2020

Portaria CAPPE Timon 2021

A biblioteca do Instituto Federal do Maranhão (IFMA) Campus Timon tem como missão tratar, gerenciar e divulgar informação e conhecimento. Ela dá suporte às ações de ensino, pesquisa e extensão e auxilia na promoção do desenvolvimento intelectual, social e cultural de alunos, servidores e a comunidade em geral. Entre os serviços prestados estão o acesso aos documentos existentes na biblioteca e empréstimo domiciliar.

Sistema de acervo | Política de Formação e Desenvolvimento de Acervo | Regulamento


HORÁRIOS DE FUNCIONAMENTO

  • De segunda a sexta-feira: das 7h às 22h.

EQUIPE


 

 

Acesso ao Portal de Periódicos da CAPES | Portal de Treinamento no Portal de Periódicos CAPES

 

O Protocolo do Instituto Federal do Maranhão (IFMA) Campus Timon tem como missão receber, classificar, registrar, distribuir, controlar a tramitação, expedição e a autuação de documentos avulsos para formação de processos, e os respectivos procedimentos decorrentes. O Setor é vinculado à Diretoria de Administração e Planejamento (DAP) e fica localizado na recepção do Campus Timon.

HORÁRIOS DE FUNCIONAMENTO

De segunda a sexta-feira: das 7h às 14h.

Servidor: Jean Carlos Ribeiro Soares       E-mail: protocolo.timon@ifma.edu.br

Emissão de Certificados 

Durante a suspensão das atividades presenciais por conta da pandemia e para melhor atender nossos alunos , estaremos recebendo as solicitações de emissão de certificado de forma eletrônica.
Basta seguir os seguintes passos:
1 – Acessar os formulários abaixo (de acordo com a sua necessidade);
2 – Em seguida preencher o formulário, anexar a documentação e enviar o formulário para o email: protocolo.timon@ifma.edu.br em arquivo PDF único;
3 – Seu processo será protocolado e você receberá o comprovante com o número de protocolo via e-mail
Observações : No ato do recebimento do diploma será necessário apresentar a documentação original para conferência; No caso de alunos com idade inferior a 18 anos, o requerimento deverá ser assinado pelo responsável.

A Coordenadoria de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) do Campus Timon destaca abaixo os tutoriais disponíveis:

Tutoriais de carácter geral:

  1. Primeiro acesso ao SUAP
    1. Alunos
    2. Servidores e colaboradores
  2. Recuperar a senha do SUAP
  3. Criar o e-mail acadêmico através do SUAP e Como Recuperar a senha do E-mail através do SUAP? (alunos)
  4. Abrir demandas na Central de Serviços do IFMA (no SUAP)

Tutoriais para o uso do Google Sala de Aula e outros acessos semelhantes nas aulas remotas:

  1. Criar a acessar o e-mail acadêmico (alunos)
  2. Acessar o Google Meet para assistir a aula online pelo celular (alunos)
  3. Passo a passo, da criação do e-mail institucional ao acesso do Google Sala de Aula utilizando o celular (alunos)
  4. Solução para mensagem “Entre em contato com o administrador do seu domínio para acessar o serviço”
  5. Primeiros passos com o Google Sala de Aula (alunos)
  6. Primeiros passos com o Google Meet utilizando o navegador web (alunos)

Tutoriais para docentes e demais servidores:

  1. Orientações para troca de senha do e-mail acadêmico do professor via SUAP
  2. SUAP Edu – Área dos Professores – Tutoriais DiGTI/IFMA
  3. Criando Turmas do Google Classroom pelo SUAP
  4. Avaliação de Desempenho no SUAP para Progressão por Mérito: Autoavaliação, Chefes Imediatos e Pares
  5. Como preencher o Plano de Trabalho (Regime Excepcional e Emergencial – COVID-19)?
  6. Abertura de Requerimento Eletrônico de Progressão por Capacitação no SUAP
  7. Gerenciamento de Permissões – Documentos e Processos Eletrônicos no SUAP/IFMA
  8. Abertura de Chamados na Central de Serviços de TI no SUAP

Tutoriais em PDF:

  1. Primeiro Acesso ao SUAP para alunos (versão 2021)
  2. Primeiro acesso ao SUAP para alunos (versão original)
  3. Criar o e-mail acadêmico (alunos)
  4. Acesso ao Google Drive
  5. Solução para quem está com problema de acesso a atividades on-line

 

Outros tutoriais serão divulgados neste mesmo endereço.

O que são Atividades Pedagógicas Não Presenciais (APNPs)?

Por Atividades Pedagógicas Não Presenciais (APNPs) entende-se aquelas que serão realizadas pelo Instituto Federal do Maranhão (IFMA) com os estudantes quando não for possível a presença física destes no ambiente escolar. De acordo com a Portaria nº 2.618, de 12 de junho de 2020, as atividades pedagógicas não presenciais correspondem às atividades realizadas pelos estudantes, desenvolvidas e acompanhadas pelos docentes, mediadas ou não por tecnologias de informação e comunicação (TICs). Nesse sentido, não se confundem com a educação a distância ou com a oferta de carga horária na modalidade EAD em cursos presenciais.

As atividades pedagógicas não presenciais mediadas por tecnologias digitais podem ser desenvolvidas de forma síncrona e/ou assíncrona. As atividades síncronas são aquelas que permitem a interação, em tempo real, entre docentes e estudantes. Já as atividades assíncronas são aquelas disponibilizadas pelo docente (geralmente em uma plataforma virtual de aprendizagem) e acessada pelos estudantes para realizar seus estudos de acordo com seu próprio ritmo de aprendizagem. Elas incluem videoaulas, podcasts, conteúdos em slides, atividades desenvolvidas a partir de aplicativos computacionais; textos digitais para leitura (e-books, artigos, guias, tutoriais, entre outros), propostas de redação de texto, pesquisas na web, discussão temática por meio de fóruns, estudos dirigidos, atividades em questionário eletrônico, entre outras.

As atividades pedagógicas não mediadas por tecnologias digitais podem ser desenvolvidas por meio de materiais impressos (lista de exercícios, apostilas, dentre outros) e livros didáticos, desde que seja possível disponibilizá-los aos estudantes nesse período.

Nesta página você encontra as informações consolidadas das Atividades Pedagógicas Não Presenciais (APNP) desenvolvidas no Campus Timon do Instituto Federal do Maranhão.

 

Fim do conteúdo da página